sexta-feira, 24 de junho de 2011

O country brasileiro fala "uai"



    A cantora e compositora mineira Paula Fernandes vem atraindo os holofotes e lentes da mídia de uma forma alucinante. Apesar de sua carreira ter se iniciado ainda na pré-adolescência, a bela cantora das Minas Gerais de 27 anos, que aos dez gravou seu primeiro disco independente e aos dezoito chegou a desistir da carreira artística, consegue finalmente decolar e conquistar um público encantado com seu estilo, que é definido por ela mesma como um pop rural, que reúne elementos característicos da música country americana e do sertanejo romântico nacional.
  
 Sua escola, inicialmente, foram os rodeios dos quais participou desde criança, passando pela escola musical da noite, com voz e violão, interpretando vários estilos musicais que vai do sertanejo raiz ao pop romântico internacional. Chegou a gravar canções como Dust in the wind, Nothing else matters, The boxer, Fallen, Don't, Behind blue eyes e outros; mas selou mesmo seu sucesso definitivo com suas próprias composições como Pássaro de fogo, Jeito de mato, Quero sim, Sem você, Pra você, Meu eu em você e outros. Paula Fernandes tem um timbre bonito, relativamente grave, com razoável extensão vocal e bom domínio de notas em falsete.
  
   O fato de se enquadrar em um estilo mais próximo do country americano do que propriamente do sertanejo nacional não subtrai de sua carreira todo o 'brasileirismo' presente em sua arte, como também em sua postura pessoal. É importante ressaltar que, embora Paula Fernandes venha participando de parcerias e aparições com artistas consagrados da música brasileira, seu sucesso deve-se, sobretudo, ao seu talento e obstinação e, porque não dizer também, à sua bela aparência, a uma simpatia discreta e especialmente singular.
   
  Mas eu, particularmente, não gostei de seu DVD gravado ao vivo. Apesar das boas canções e da boa interpretação da cantora, não consigo entender como tantos músicos, produtor, arranjador e outras pessoas ligadas diretamente à música não perceberam que faltavam arranjos de cordas, teclados, e permitiram que um projeto importante ficasse tão pobre nesse aspecto. Em seu primeiro DVD gravado ao vivo, a cantora contou apenas com os arranjos de um bom sanfoneiro e, em uma das canções, com a brilhante participação do maestro violinista Marcus Viana, ficando todo o resto reduzido a um tímido acompanhamento harmônico sem nenhuma criatividade.

Reações:

5 comentários:

Lilly disse...

Nunca gostei da chamada "música sertaneja" que estourou com Leandro & Leonardo com a canção "Pensa em mim" e depois não parou mais (muito embora a de L & L ainda tenha o grande mérito da originalidade, pioneirismo e humor, à época foi até que bem interessante). Por quê? Porque nunca passou de oportunismo barato; de sertaneja nunca teve nada - está mais para, como dizem, "brega romântica", "sertanojo", "breganeja" ou "agroboys music" (estes dois últimos termos, penso, fui eu que criei - pena que esqueci de patentear...) E também pela ausência de neurônios envolvidos nas criações musicais, pela absoluta falta de criatividade, pela repetitividade ad misericordium, pelas vozes estridentes das duplas, que não se distinguem umas das outras... enfim, pela falta de qualidade musical em letras, arranjos, melodias. Além de, claro, pelo fato de ter sido imposta goela abaixo dos ouvintes, que, sem opção, acabaram assimilando a "agroboys music". Já virou até clichê dizer que música sertaneja, música regionalista, é a dos excelentes Almir Sater, Renato Teixeira, Rolando Boldrin, Sérgio Reis e gente dessa turma.

NO ENTANTO... (sempre tem um porém...) não se pode ignorar o fenômeno Paula Fernandes. A meu ver, trata-se de um caso à parte. Seu CD e DVD "Ao Vivo" passaram a marca das 700.000 unidades vendidas. "Pra Você" é a quarta canção mais tocada nas rádios do país, perdendo para os tradicionais Zezé di Camargo & Luciano, mas à frente de Luan Santana e Ivete Sangalo (o que, para mim, já é uma coisa sensacional, pois se tem algo que abomino mais que "breganeja" é Luan Santana e seu (urgh!!!) sertanejo universitário e, mais ainda, o abominável axé e Ivete Sangalo - portanto, DÁ-LHE, PAULINHA! ACABA COM ESSA GENTALHA!). Paula pode ter nascido para a fama no último Natal, com a ajudinha providencial de Roberto Carlos, mas ela tem brilho próprio, e seu gênero, o sertanejo (sertanejo?...), já há tempos desponta inconteste como a música mais popular do Brasil. Com uma levada do country americano de Nashville e um romantismo desbragado que a torna a convidada ideal para um dueto com Roberto Carlos, Paula pode ser o novo rosto do sertanejo: cada vez mais pop, alcançando um público que cresce não só em número, mas em poder aquisitivo. MAS TEM O SEGUINTE: Paula não é só mais uma; tem uma voz belíssima, é muito bonita, com uma grande presença cênica (isso conta, ninguém há de ser hipócrita de negar), e se bem assessorada (por gente como Almir Sater, por exemplo, que inclusive já cantou com ela), pode aprimorar seu repertório e transformar-se em mais que uma cantora romantiquinha de gosto duvidoso. Pode até cantar belas canções de amor (e outros temas), mas de outro nível.

Abraços e um bom dia!

Marlon Sérgio disse...

Adorei seu comentário, Lilly! Como sempre muito inteligente e denso. Mas não concordo quando você diz que Paula Fernandes tenha precisado da 'ajudinha providencial' de Roberto Carlos; Paula já havia estourado nas paradas em todo o Brasil quando participou do Show de fim de ano do Rei! Evidentemente que não se pode negar que cantar ao lado desse mito da música brasileira impulsionou ainda mais sua carreira já em incontestável ascensão! Assim como também não se pode ignorar o fato de que Paula não foi convidada aleatoriamente; Roberto Carlos não convida ninguém que não esteja em evidência e fazendo muito sucesso, e Paula Fernandes não foi exceção; Aliás, se foi uma honra para a cantora estar ao lado do rei, creio que a presença da bela country singer só fez aumentar ainda mais a audiência do espetáculo.

Fernando Marely disse...

Não gosto desse novo sertanejo que está na mídia: Luan Santana, Jorge & Mateus, Fernando & Sorocaba entre outros, mas essa Paula Fernandes é lindinha pra demis da conta, não tem como não gostar dela e sua voz é um encanto.


Ê lá em casa!

Elvis disse...

Também não sou muito fã de sertanejo, a não ser em shows, rodeios etc, quando a música combina com o ambiente, geralmente ao ar livre, com as pessoas vestidas com calças, coletes e chapéus de cowboys etc. Fica bacana, animado, nessas ocasiões. Mas Paula Fernandes eu já gosto de ouvir, mesmo em casa ou no carro. Voz fantástica tem essa bela moça, que também transmite uma alegria encantadora. É sempre bom ouvi-la cantar ao som do violão. Uma curiosidade sobre ela é que parece que é natural de Santana de Pirapama, cidade pequena próxima a Sete Lagoas. Não sei dizer se é ou se já foi distrito. Ouvi esse relato de um morador da pequena cidade. Deixo a confirmação para quem quiser pesquisar.

almeida disse...

Bom, como diria o açogueiro musical vamos por partes.A musicalidade e talento da moça são evidentes e inquestionaveis e bem superior a média das coisas que a midia vem empurrando por ai.Creio que independente de ajuda externa mais dia menos dia a moça iria aparecer mesmo como talento musical e apareceu.Nota-se que a mesma pode sim enveredar por diferentes caminhos,e de certa forma e meio injusto tentar rotular a mesma como apenas sertanejo e torcer o nariz.Quando ao DVD discordo do ponto de vista firmado quanto a qualidade,creio que alí optou-se pela simplicidade para valorizar a voz e talento da moça.Notem que tem muita gente ai que canta muitopouco ou quase nada e se esconde atraz de arrangos. é o que penso

Postar um comentário

Clique dentro da caixa e digite seu comentário!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Enterprise Project Management