sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Bipolaridade, genialidade e bipolares famosos







Na ilustração acima: Madonna, a mais bem sucedida estrela pop de todos os tempos, é bipolar.



"É preciso ter caos e frenesi dentro de si para dar à luz uma estrela dançante". Nietzsche

Entre a o céu da euforia (mania) e o inferno da depressão. Assim vivem os bipolares. Uma doença seguidas vezes coabitando com a criatividade e a genialidade. De Michelangelo a Beethoven, de Van Gogh a Francis Ford Coppola, de Balzac a Elizabeth Taylor...

Os autores revisam o conceito de inteligência e criatividade e sua correlação com a bipolaridade. Recortes históricos mostram que já na Antiguidade os homens que se notabilizavam pela excelência nos campos das artes, política e ciência eram tidos como tocados pela loucura. Objeto de estudo de Lombroso, Kretschmer e Jaspers, o gênio louco recebeu atenção de muitos pesquisadores nos últimos trinta anos. Estudos com desenho moderno e rigor metodológico sobre esta conexão nos mais variados enfoques têm se acumulado. Assim é que evidências trazidas à luz por trabalhos epidemiológicos, neurobiológicos, neuropsicológicos e econométricos apontam para a real existência de uma estreita relação entre inteligência e criatividade, e até mesmo genialidade, tendo o bipolar de certo grau grande tendência a ser bem sucedido em atividades que requeiram, sobretudo, criatividade.

Vários estudos apontam que a bipolaridade está mais presente entre artistas do que em outras profissões. Isso porque os bipolares normalmente apresentam as seguintes características: espírito inovador, criatividade, temperamento emocionalmente intenso, curiosidade e empreendedor.


Alguns bipolares famosos (são muitos e muitos.)


Literatura: Oscar Wilde, Agatha Christie, Platão, Virginia Woolf, Ernest Hemingway, Edgar Allan Poe, Honoré de Balzac, Lord Byron, Fernando Pessoa, Victor Hugo,  Florbela Espanca, Emily Dickinson, Hermann Hesse, Göethe,  William Faulkner, Baudelaire, F. Scott Fitzgerald, Émile Zola, Tennessee Williams, Hermann Hesse, Friedrich Nietzsche, Sidney Sheldon, Vladimir Mayakovsky, Charles  Dickens, Leon Tolstoi...

Música: Mozart, Häendell, Beethoven, Tchaikovsky, Héctor Berlioz, Gustav Mahler, Sergei Rachmaninoff, Schumann, Rossini, Madonna, Maria Callas, Jimmy Hendrix, Sting, Rita Lee,  Elvis Presley, Cazuza, Britney Spears, Dee Dee Ramone, Janis Joplin, Sinéad O'Connor, Axl Rose, Kurt Cobain, Ozzie Osbourne, Ray Davies, Peter Gabriel, Cole Porter, Charles Mingus,  Thelonius Monk,  Nina Simone, Charlie Parker, Macy Gray, Connie Francis, Kristin Hersh…

Cinema/TV/Teatro: Charles Chaplin, Ibsen (dramaturgo), Elizabeth Taylor, Robert Downey Jr., Catherine Zeta-Jones, Linda Hamilton, Robin Williams, Stephen Fry, Jim Carrey, Marilyn Monroe, Tim Burton (diretor), Ben Stiller, Mel Gibson, Cary Grant, Francis Ford Coppola (diretor), Eugene O´Neil dramaturgo), Carrie Fisher, Rod Steiger, Maximo Gorki, Jean-Claude Van Damme, Margot Kidder, Nicolai Gogol ...

Artes plásticas: Michelângelo, Salvador Dali, Paul Gauguin, Vincent Van Gogh, Jackson Pollock...

Ciência: Einstein, Santos Dumont, Isaac Newton...

Política: Winston Churchill, Abraham Lincoln, Ulysses Guimarães, Napoleão Bonaparte, Abbie Hoffman, Patrick J. Kennedy...

Outros: Sigmund Freud, Ted Turner (megaempresário dono da rede CNN de TV), Edwin Aldrin (astronauta), Sophie Anderton (modelo)...       


Piano Concerto nº 3 – Sergei Rachmaninoff - um bipolar verdadeiramente genial


Reações:

34 comentários:

Carla Fricks disse...

Oi, Liane querida!

Vou ter que dar parabéns de novo pelo blog, está mto lindo e as postagens estão incríveis.

Confesso que sou bipolar (hoje sem vergonha nenhuma, apesar do preconceito que ainda existe). Não sou nenhum gênio, mas sobretudo nas fases de euforia, reconheço em mim uma inteligência acima da média e uma vontade de realizar, de concretizar coisas. Mas sofre-se mto com essa doença, fica-se anos e anos sem conseguir o diagnóstico correto, os psiquiatras costumam confundir com depressão comum, pelo menos no meu caso, onde as fases maníacas não eram tão pronunciadas. Depois do diagnóstico, começa-se a tomar a medicação para estabilização do humor e tudo fica melhor, pode-se levar vida normal. Mas nem todo bipolar tem essa sorte. Alguns vão sofrer depressões terríveis pelo resto da vida, assim como fases maníacas onde ficam enlouquecidos, fazendo as maiores barbaridades, como foi o caso da escritora Virginia Woolf, do Kurt Cobain, etc.. E há mesmo os que optam por não tomar o estabilizador de humor, para manterem o estado de euforia em um pico bem alto, o que potencializa a criatividade e a hiperatividade. Mas o preço é alternar com uma depressão horrorosa, às vezes até com necessidade de internação e medicamentos mto fortes, até mesmo eletrochoque.

Mas enfim, a doença mental não é a melhor coisa do mundo, mas sinto-me até orgulhosa por estar em tão boa companhia.

Roni Sauaf disse...

Li, que post maneiro, o tipo de assunto que qq um curte.... eu pelo menos tenho o maior interesse por tudo que é ligado a loucura.... e música claro. Vcs merecem que este blog decole, pq está mto caprichado, bonito de ver e gostoso de ler. No mais só tenho a dizer BRAVO!!!

(Ei, vc é bipolar por acaso? Pq é um gênio...... rsrs)

Beijim, minha linda

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Terre Nunes disse...

Vou com a Carla: elogio novamente o blog, que a cada dia se supera e me faz ter vontade de ler o que vcs nos trazem. Altíssimo nível, sem exagero nenhum,conteúdos sérios sem ficarem maçantes.

Uma sugestão: como os posts não podem ser mto longos, senão o pessoal tem preguiça de ler, vcs poderiam colocar links com artigos aprofundando o assunto para quem se interessar, como é meu caso.

Letícia Rangel disse...

O que eu tenho a dizer é........ arrasou!!! Assunto quentíssimo, acho que a loucura é sempre fascinante, apesar de assustadora.

Me interesso particularmente por esse assunto, pq tenho uma amiga que desconfio que seja bipolar, mas gostaria de ter mais informações sobre a doença para dar qualquer conselho a ela. O Terre tem razão, poderiam colocar links com mais informações sobre o tema.

Beijão

Lilly disse...

Carlinha, realmente, não há do que se envergonhar dessa doença. Inclusive hoje em dia algumas pessoas até mentem que são bipolares, pq acham que dá status... rsrsrs

Conheço alguns bipolares, e realmente, todos têm uma inteligência bem além de mediana, mas alguns infelizmente não conseguiram se integrar social nem emocionalmente, devido ao grau elevado da doença, que impede o seu controle, e suas fortes crises de euforia e depressão os atrapalham em todas as situações, seja trabalho, família, amizade, amor... É uma pena, pq são pessoas c/gde.potencial.

Lilly disse...

Roni, eu tb tenho fascínio por tudo que diz respeito à mente humana, sem falar na paixão por música (e artes em geral.)

Obrigada pela tua torcida, que sei que é super sincera, mas para um espaço na net se destacar em meio a trilhares e trilhares de sites os mais diversificados é quase uma loteria, é preciso, entre outras coisas, uma sorte do cão. Então vamos fazendo nosso blog por prazer, por paixão mesmo - e acredite, é mto.gostoso. Mas enfim, se num desses acidentes de percurso da vida a gente emplacar, vai ser uma delícia, mas não colocamos como um objetivo; se conseguirmos é lucro.

Beijoka

Lilly disse...

Nossa, Terre... só elogios, guri! Onde estão as críticas? Críticas, por favor, queremos críticas! Elogios fazem com que nos acomodemos... EI, BRINCADEIRA!!! rsrsrs Obrigada por estar gostando tanto do nosso cantinho. Mas realmente, não podemos nos deitar nos louros e achar que pronto, estamos perfeitos. Vcs têm gostados dos assuntos tratados aqui, mas há pessoas c/os mais diferentes interesses.

Qto.à tua sugestão... tem toda razão. Aliás, vc reparou que na penúltima postagem, c/o título "Política, espetáculo e o poder da música", eu acrescentei uma bibliografia p/complemento do assunto? Mas gera um pequeno probleminha: ocupa espaço, e isso, psicologicamente, funciona de forma negativa na mente do leitor, que tem a impressão de a postagem ser maior do que realmente é. Em todo caso, vamos testar e ver no que dá.

Lilly disse...

Ô, Lets, tô já ficando sem jeito com tanto elogio... rsrsrs Nem sei o que dizer mais... Mas valeu, isso nos incentiva e lisonjeia mto.

Qto. à tua amiga, na minha opinião vc deveria sugerir-lhe um bom psiquiatra p/dar o diagnóstico dela, se for o caso - mas um bom mesmo, não pode ser meia-boca, que tá cheio de picareta pr aí.

Sobre a sugestão dos links, leia o que eu escrevi logo acima, para o Terre.

Beijos

Laguna Sunrise disse...

Eu já pensava que a fase mais ativa tinha a ver com a mania. Quando eu tive a minha primeira crise, há dois anos, a sensação era que a sua mente poderia sair do corpo, pois poderia se virar sozinha. Mas isso teria causado a minha exaustão. Cinco horas dormidas em dois dias e o corpo todo poderoso assim mesmo. Tenho grande controle da doença, no momento. Mas minha criatividade se reduz a algumas áreas. Justamente por causa da medicação que tomo. Tenho uma atividade que me exige grande trabalho intelectual. Nessa situação, não dá nem para achar um texto difícil, pois eu não consigo me concentrar por tempo suficiente na leitura. Diminuí o remédio que causa isso até a dose mínima. Meu médico diz que o efeito colateral leva umas duas semanas. Bom, fé é pra se usar, né rs.

Lilly disse...

Laguna, vai dar tudo certo, vc vai ver. Qdo.tive depressão, o médico foi ajustando a marca do antidepressivo e a dose certa até melhorar consideravelmente a minha qualidade de vida e o meu nível de energia. Mas quem sabe o teu médico não acerta de primeira?

Talvez vc tenha visto o filme Mr.Jones, em que o personagem principal é bipolar em grau bem elevado, tem fases maníacas em que faz as maiores loucuras, e depressões em que não tem forças nem para tomar banho, fica totalmente apático. Ele não toma o estabilizador de humor, pq se sente mto. feliz e ativo durante a euforia. Mas se apaixona pela psiquiatra, é correspondido por ela, e por esse amor ele resolve passar a se medicar.

Aí vai o link do trailer do filme:

http://www.youtube.com/watch?v=YXtc79yOdPE

Jose(cidinho)phoenix disse...

Acho que certos sintomas derivam da insatisfação do ser humano ou inadequação com o "comum"...o que não se resolve dentro do peito..o vazio existencial..e por sua vez surge o descontrole..o descompasso..Que é quando tudo se junto em uma unica explosão de sensações e sentimentos...
E uma válvula por onde despejamos tudo aquilo que esta guardando.Toda a potencia suprimida e armazenada.Porem é lógico de uma energia tao grande liberada em um espaço tao curto de tempo cause uma grande exaustão.Vindo a deixar o individuo deprimido em consequência.Porem há bipolaridade mais conhecida é a mais "amena".Esta mais "amena" é mais perigosa pois não apresenta sinais claros de sua manifestação ,assim dificultando o seu diagnostico.
Mas o fato e que os gênios sempre foram seres inconfomados que por muitas vezes não lhes foram ensinados a desenvolver suas habilidades,então a bipolaridade foi uma uma forma onde toda a potência dos seis gênios veio a tona para assim se manisfestar neste "mundo."

Lilly disse...

Cidinho, existe essa visão também, de que a DITA loucura na verdade é uma fuga das almas e mentes inconformadas com o comum, com o pequeno, com o medíocre. E além de uma válvula de escape, é também um refúgio onde o DITO doente mental se esconde e encontra o mundo que gostaria, ainda que tenha de pagar um preço por isso.

Qto.ao diagnóstico,não é fácil mesmo, sobretudo p/médicos c/uma visão tradicionalista, ou incompetentes mesmo, que vêem o paciente não como um ser humano normal, com suas particularidades, mas como um doente que deve ser categorizado. Sem falar que a mente humana é por demais complexa e os estudiosos estão ainda bem longe de conhecê-la.

Leonardo disse...

Como se uma mente prodigiosa já não fosse algo à ser estudado com curiosidade e cautela, há ainda aqueles que tem a mente repartida em dois. Essa dualidade de interpretações sobre a vida, um brainstorming de um homem só, deve ser extraordinário do ponto de vista criativo, para o bem ou para o mal. Gênios em geral são incompreendidos por natureza, acredito que qualquer coisa além disso vai continuar a alimentar o mito longe de qualquer chance de ser desvendado. A mente por ser o instrumento mais complexo e potente do mundo certamente levantará a curiosidade durante muito e muito tempo. Como ainda não podemos escolher se queremos ser gênio ou bipolar, só nos resta como pobres mortais desfrutarmos daquilo que essas peças raras conseguem produzir.

Lilly disse...

Pobre mortal vc? Que modesto... (Mas faz parte do teu charme...) Vc pra geninho só faltam as penas... (Gênio não tem pena? Então não falta nada!) < (Ai, piada explicada não tem graça... dãããã!!!) E lembra que não existem piscianos pobres mortais? rsrsrs (aaaaaaiii... ainda levo uma boa sova por falar tanto nesses astros...):(

Se vc ainda não atingiu seu pleno potencial, é pq está esquecendo algum detalhe na execução de seus planos... ou então não tem um plano... o que está esperando? eheheh

Mas... nem todo gênio é bipolar, né? E nem todo bipolar é gênio. Embora esses dias eu tenha lido uma matéria dando conta de que a bipolaridade, se bem caracterizada (ou seja, bem diagnosticada), tem a característica de apresentar uma altíssima porcentagem de pessoas de inteligência no mínimo acima da média e potencialmente realizadoras. Mesmo as que não atingem metas são pessoas reconhecidamente bem longe da mediocridade.

Laguna Sunrise disse...

Valeu a atenção pra todo mundo, Lilly. O remédio tem que acertar senão a coisa complica aqui rs. Eu vi esse filme há muito tempo - mas valeu pelo link. Um cara bonito e carismático (na mania) daquele jeito, até eu embarcava rs. Sabia que ele tinha algum problema porque ele passou duma loucura "legal" para a depressão e mau-humor. Fiquei constrangido pela família que ele ofendeu do nada. O pai ficou se perguntando se tinha passado um avião ali rs. Não dava nem tempo para tentar compreender. Imagina como era a imagem de um bipolar no Brasil naquela época? Só há pouco tempo fiquei sabendo que o preconceito diminuiu.

Flor disse...

Lilly, seu blog está de parabéns! Mais uma outra bela e interessante postagem!

A foto da Madonna iniciando o post está linda!

Já dei aula para uma linda mocinha bipolar e posso afirmar que foi uma experiência ao mesmo tempo árdua e gratificante, pq quando ela saia da fase meio "down" ela revelava a inteligência e rapidez de raciocíno que possuía...era muito sensível ao que se passava a sua volta...queria abraçar o mundo com os braços e muitas das vezes se decepcionava...mas depois de algum tempo se levantava e seguia em frente.


Lilly disse...

Eliana, obrigada pelo incentivo de sempre - e sei que é sincero. E... sabe que eu também tinha gostado da foto? Mas pensei que fosse só eu "namorando" a cria... agora vc me confirmou que tá mesmo legal, que bom! Minha auto-crítica não tá tão ruim assim...

É, nem sempre é uma experiência mto.boa conviver c/um bipolar... qdo.não é uma pessoa bem ajustada, acabamos c/pena de a pessoa ter tanto potencial mas não conseguir aproveitar... Mas desde que ela consiga se sentir feliz c/suas limitações (o que às vezes depende de mta.terapia) já é uma grande coisa, afinal, ninguém precisa ser famoso e imortal pra ser feliz.

Beijão

RMFilho disse...

Bipolares todos somos. Porém, geniais somente alguns. Todos passamos por momentos de agonia e depressão, quando percebemos (ligamos as antenas), e de euforia, quando produzimos (pomos os braços a trabalhar). O importante não é se deixar dominar pela bipolaridade, e, sim, ter consciência que o bipolar pode, e muito, ser produtivo, ser essencial. E, não precisa ser nenhum gênio. Basta ser humano.

Lilly disse...

Ruyzinho, as pessoas mais sensíveis têm mais propensão. Esses tempos fiz um estudo sobre quem é mais propenso a ter depressão, a DITA bipolaridade e a DITA esquizofrenia, e descobri que, de modo geral, salvos os casos de propensão genética, as pessoas com raciocínio lógico-matemático são menos sujeitas a essas, digamos, doenças.

E você eu sei que é extremamente sensível... tua forma de escrever, teu jeito de ser, sentir e pensar, teus poemas (cada vez melhores, aliás) mostram isso claramente.

Marcelo disse...

Oi, Li

Nossa, que bacana esse blog! Visual e conteúdo nota 10. Tenho algumas sugestões baseado em alguns blogs que já vi por aí, mas deixa pra depois, que agora não me
lembro o nome deles.

Você pede sugestão de assunto... tenho várias, mas por enquanto te sugiro futebol,
que é a paixão do brasileiro, mesmo aqueles que não são toscos. E... sexo, sempre.

Relacionamentos também é uma boa. Mas me aguarde que vou pensar melhor.

Beijão do Marcelo

Paulo Romero disse...

Ótimas postagens, Lilly.
Continue com o blog que tá muito bom! =)

Lilly disse...

Oi, Marcelo

Desculpe a demorinha em responder, é que eu ando realmente c/ o tempo bem curto.

Olha, com certeza vou aceitar as tuas sugestões, não só de blogs como também de assuntos. Aliás, não adianta fugir de futebol e sexo, é o que o brasileiro (e a brasileira, né?) mais gostam mesmo... rsrsrs

Vamos trocar ideias. Aliás, vai ter um show do Kattah dia 29, o Roni quer mto.que a gente vá, fica a dica. (Não sei direito onde vai ser, só sei que vai ser no Pilarzinho, depois eu me informo melhor.)

Beijos

Li

Lilly disse...

Paulinho, como eu falei pro Marcelo logo acima, mil desculpas pela demora, é que ando bem apurada por estes dias.

Legal que gostou das postagens!!! E pretendemos diversificar mais ainda, espero que vc continue nos visitando, comentando e também dando sugestões do que quiser, inclusive de assuntos que gostaria de ver tratados, tá bem?

Flor disse...

Com certeza, Lilly! Ser feliz dentro de nossas limitações é o que é mais importante.
Bjks, querida!
E mais uma vez, parabéns pelo blog!

Sucesso!

Anônimo disse...

Não entendi o que tem a ver uma coisa com outra. Bipolaridade e sensibilidade. O que não se falou aqui até agora é que este problema é resultado de uma disfunção neurológica e que genialidade também se encontra em pessoas não bipolares. Também saliento que conviver com pessoas com esse transtorno de humor não é nada fácil. Eu já estive por diversas vezes revoltado por ter nascido com este transtorno. No meu caso, só descobri em 2006 com 45 anos de idade. Sofri muito tempo antes disso. Minha fase maníaca sobrepõe a depressiva e não tenho nenhum orgulho dss loucuras que já fiz por causa da doença.

Anônimo disse...

Tenho 48 e fui diagnósticado a 2. De início fiquei triste, hoje sou feliz por saber-me bipolar. Sou mais compreensivo para comigo mesmo. Bipolar mesmo e foda-se

Anônimo disse...

Matéria excelente! Só ficou faltando Kanye West na lista de músicos bipolares, mesmo assim o cara é gênio como cantor e produtor musical. Ele tem 21 Grammys.

Jessica Mariane disse...

Uma bosta ser bipolar quando buscamos aceitação, uma maravilha a partir que aceitamos e lidamos (remedio, terapia) com ela sm necessidade dos outros...

Unknown disse...

Oi eu trato de depressao a 4 anos e meu psiquiatra me relatou hoje que tem quase certeza q sou bipolar.Estou assustada e com certa preucupacao.Ja que a meu sonho sempre foi estudar e desde o comeco do tratamento nao consegui voltar a estudar.NAo seo se esse diagnostico vai me ajudar ou piorar ainda mais as coisas

Rosangela Vitaliano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CriDag disse...

Obrigada. Gostei. Gostaria de saber quais músicas devo colocar para uma pessoa bipolar ouvir. Se souber, agradeço.
Mas, sua postagem me ajudou. Obrigada. Cristina

CriDag disse...

Obrigada. Gostei. Gostaria de saber quais músicas devo colocar para uma pessoa bipolar ouvir. Se souber, agradeço.
Mas, sua postagem me ajudou. Obrigada. Cristina

Dmei - Palmas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

Clique dentro da caixa e digite seu comentário!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Enterprise Project Management