segunda-feira, 23 de julho de 2012

Jesus, Alegria dos Homens – de J.S.Bach




Uma das mais lindas músicas já compostas por seres humanos, maravilhosa canção engrandecendo ao maior de todos os homens, Jesus Cristo, soberano, que revolucionou o mundo com suas palavras de fé, amor e santidade, justo-santo-único salvador.

Jesus alegria dos homens (Jesus Bleibet Meine Freude, em alemão) é o coral  final da 32ª cantata, "Herz und Mund und Tat und Leben"  ("Coração e Boca e Ações e Vida", numa tradução livre), escrita por Johann Sebastian Bach em Leipzig, Alemanha no ano de 1716. Embora seja a 32ª cantata composta por Bach, das que sobreviveram, foi-lhe dado o nº BMV 147 no catálogo completo de suas obras.

E de tão conhecida e maravilhosa, dispensa mais comentários. Seguem as belíssimas e inspiradoras letras da canção em português e a versão de Vinícius de Moraes “Rancho das Flores”, com a mesma melodia:


Jesus Alegria dos Homens

Jesus continua sendo minha alegria,
o conforto e a seiva do meu coração.
Jesus refreia a minha tristeza,
Ele é a força da minha vida
É o deleite e o sol dos meus olhos,
O tesouro e a grande felicidade da minha alma,
Por isso, eu não deixarei ir Jesus
do meu coração e da minha presença.

Bem-aventurado sou, porque tenho Jesus.
Oh, quão firmemente eu o seguro,
Para que traga refrigério ao meu coração,
quando estou triste e abatido.
Eu tenho Jesus, que me ama
e se confia a mim.
Ah! Por isso não o deixarei,
Mesmo que meu coração se quebre.
 


Rancho Das Flores

Entes as prendas com que a natureza
Alegrou este mundo onde há tanta tristeza
A beleza das flores realça em primeiro lugar
É um milagre do aroma florido
Mais lindo que todas as graças do céu
E até mesmo do mar
Olhem bem para a rosa
Não há mais formosa
É flor dos amantes
É rosa-mulher
Que em perfume e em nobreza
Vem antes do cravo
E do lírio e da hortênsia
E da dália e do bom crisântemo
E até mesmo do puro e gentil malmequer
E reparem no cravo, o escravo da rosa
Que é flor mais cheirosa
De enfeite sutil
E no lírio que causa o delírio da rosa
O martírio da alma da rosa
Que é a flor mais vaidosa e mais prosa
Entre as flores do nosso Brasil
Abram alas pra dália garbosa
Da cor mais vistosa
Do grande jardim da existência das flores
Tão cheias de cores gentis
E também para a hortênsia inocente
A flor mais contente
No azul do seu corpo macio e feliz
Satisfeita da vida
Vem a margarida
Que é a flor preferida dos que tem paixão
E agora é a vez da papoula vermelha
A que dá tanto mel pras abelhas
E alegra este mundo tão triste
No amor que é o meu coração
E agora que temos o bom crisântemo
Seu nome cantemos em verso e em prosa
Porém que não tem a beleza da rosa
Que uma rosa não é só uma flor
Uma rosa é uma rosa, é uma rosa
É a mulher rescendendo de amor... 

Jesus Bleibet Meine Freude (versão original, de Bach)


Joyful, Joyful (o nome da peça em inglês). Aqui, apresentada no filme “Mudança de Hábito 2”, sob o comando da voz divina de Lauryn Hill e um coral de jovens, adaptada para música e dança moderna. 


Rancho das Flores – versão de Vinícius de Moraes para a obra de Bach – por Fagner

Reações:

28 comentários:

Marlon Sérgio disse...

Lilly, pra mim, como crstão, foi uma surpresa maravilhosa abrir o Lero e me deparar com esta homenagem ao Grande e Incomparável Mestre Jesus Cristo. Aliás, você está a cada dia mais inspirada, revelando através de suas postagens uma sensibilidade fora do comum, pois, ao mesmo tempo em que cultua o Soberano Salvador, nos presenteia também com a bela canção de uma das maiores personagens da música de todos os tempos, o genial Johann Sebastian Bach. Obrigado por esta postagem incomparavelmente emocionante e especial. (Tá se superando, Hein...)

Lilly disse...

É mesmo, Marlon? Como me deixa contente ter te sensibilizado assim... Até pq a mim também sensibilizou esta postagem. Prova de que temos percepções parecidas e estamos conectados (como diz um amigo meu qdo.quer se referir a sintonia). E qdo.se está conectado, tanto entre pessoas como c/a Sabedoria Superior, diz ele que se abre caminho p/as coisas mais maravilhosas e importantes da vida. Não tem preço esse querer bem da gente e o que de belo ele é capaz de criar, como têm provado as nossas postagens e os elogios que o blog vem recebendo. Esses dias alguém elogiou até o visual, inclusive o banner, tudo criação tua, e isso me fez te admirar mais ainda, lembrar o qto.vc é criativo, talentoso e de bom gosto. Sabe, nesses últimos meses, surpreendentemente (para uma [ex?] agnóstica como eu), ando mto. apegada a Deus e sinto que tem feito diferença na minha vida, até mesmo na minha sensibilidade e criatividade. E hoje, c/meu pai no hospital e eu amedrontada, insone, c/o coração apertado e me sentindo pequenininha, pensei em Jesus p/me confortar... e p/me distrair resolvi escrever. Como nosso blog é de música, logo me veio à mente uma canção sobre Ele. E quem mais inspirado e inspirador (pela divindade?) do que Bach? Alguém disse que "Bach é a prova de que Deus existe" - e realmente, ele tem o dom de nos elevar o espírito e emocionar. Mas, pra variar, estou falando demais e te "desobedecendo"... rsrsrs... Só quero dizer ainda que esse teu comentário me soou mto.verdadeiro e do fundo do coração (pq vc sabe, às vezes somos obrigados a fazer comentários um tanto diplomáticos e profissionais).

Um beijo

Mestre dos Nomes disse...

Quero agradecer a minha querida amiga Liane por me convidar a descobrir este santuário da arte e cultura. Parabenizo a todos pela brilhante iniciativa do blog!

Em empolguei um pouco...então será um comentário em 2 partes.

É um desafio escrever palavras que façam juz ao brilho e tamanho resplendor de Johann Sebastian Bach.

Bach é o sublime gênio criador, o anteparo de nossa bagagem musical ocidental.

Nestes termos, para muitos historiadores a música ocidental se divide em "antes de Bach" e "depois de Bach".

Há inumeráveis curiosidades a tecer sobre o Mestre dos Mestres. E não menos para com a sua obra mais conhecida, Jesus Alegria dos Homens. (em alemão literal: Jesus sempre está comigo)

Bach escreveu incessantemente por décadas e alguns se admiram do fato, pela forma como o fez.

Bach constitui numerosa família...mais de 20 filhos. (não tinha tv naquele tempo). Mas, Bach foi mais do que um pai de família, ele encontrou tempo para ser um obstinado gênio criador. Admirável é o fato dele ter tido algumas opiniões muito contrastantes com as de nossa atualidade.

Uma delas se refere a sua absoluta repugnância ao café. Sim, Bach detestava tanto o nosso precioso grão torrefato que escreveu uma cantata inteira para dissuadir as pessoas da sua igreja a beberem tal líquido!

Será que ele estava certo? Que efeitos tem o café para como a persistência tenaz?

Outro tema interessante é o da afinação. Hoje em dia existem muitos grupos musicais buscando a identidade absoluta de Bach. Estes grupos tem buscado instrumentos originais, cordas originais e técnicas de execução similares às da época de Bach. De fato, os resultados obtidos diferem muito dos sons colhidos com instrumentos e técnicas modernas de execução. Um detalhe que pode ajudar todo neófito de Bach a encontrar seu nicho vibracional é a afinação.

A afinação foi a principal causa vital de Bach. Mas nós observamos muitos intérpretes totalmente alheios a esta importante informação. Bach escreveu tudo para ser executado em exatos 432 hz no diapasão. Ou seja, nada de 440 hz para o lá de afinação, e muito menos, nada de 443 hz de muitas orquestras e grupos de intérpretes modernos!

E porque 432 hz:

A resposta veio a nós na virada deste milênio. O computador da NASA foi instruido a comparar milhões de fotos tiradas de todos os astros conhecidos.

O objetivo:

determinar a velocidade média de deslocamento do holos. Saber qual a velocidade média de todos os astros visíveis.

Adivinhe... após 6 meses de trabalho no computador que à época era o mais rápido de todo o planeta, eles divulgaram a notícia: 432 hz

Agora, eu pergunto a você: como Bach sabia que este era o número chave?

E a pergunta mais grave:

Porque a comunidade internacional de adeptos de Bach permitiu que o órgão de Leipzig, o instrumento em que Bach se dedicou por décadas a compor algumas de suas mais célebres obras, fosse transformado em afinação de 440 hz?

A preocupação de Bach é essencialmente vibracional. Assim, vale dizer que todas as suas obras cantadas contém um interessante jogral "cabalístico" de emissões fonéticas.

Via de regra, quando a gente inverte um texto de uma música, nascem expressões novas conduzindo ao que alguns chamam de "linguagem fonética subliminar".

Roma vira Amor, por exemplo.

Continua...

Mestre dos Nomes disse...

continuando...

Muitas canções realmente parecem nos indicar odes profanas ou de caráter iminentemente destrutivo. Honestamente, eu não sei se isto é pertinente a ponto de fazer alguém ser sugestionado. Não obstante, em TODAS as obras cantadas de Bach, originalmente em alemão, quando tocadas em modo invertido nascem novas odes de adoração ao Criador. Dado que este é um padrão repetitivo, concebe-se que Bach estava alinhado a um modo de fazer as coisas muito diferente do padrão de muitos compositores. Seria este o segredo para a música de Bach servir de suporte à vida?

Na presente obra, "Jesus a alegria dos Homens" existe um ternário claramente articulado.

Este aspecto torna a obra simples e ao mesmo tempo dinâmica.

O baixo contínuo executa um batimento bem delineado, figurando como uma base sólida para os floreios. Aproveitando a estrutura, os violinos fazem uma renda, um tema musical que prepara a apoteose. É interessante notar a forma como ele escolheu as notas de base. A estrutura se apoia em sol maior, o que se traduz em um brilho, como o do sol. Mas, de uma maneira muito sutil, Bach separa as maiores emoções da tonalidade, se assim podemos dizer, para o momento da apoteose, quando o coral entra. Naquele ponto, o baixo contínuo usa semitons, simbolizando a união das emoções humanas ao ato divinaL...uma clara tentativa de mostrar o que é a felicidade imorredoura.

Na prática, o tema principal não é o tocado pelos violinos, mas o cântico. Mas o que transparece mais, é esta moldura delicada. A gente se aproxima do quadro observando os detalhes luminosos de sua moldura. Então, magistralmente, como que convidando a alma a subir as cordilheiras da luz eterna, Bach tece uma crescente envergadura nestes ramos harmônicos que se projetam em uníssino. Os violinos tocam em uníssono, o que cria uma sensação de "caminho nas alturas", um caminho "simples", "bonito", e elegante por ser tocado em forma de giga, uma antiga dança medieval.

Isto tudo nos remete às famosas festas das colheitas, o momento onde a fartura da terra é amplamente recompensada aos semeadores.

A festa evolui e em dado momento, o sol brilha...é o momento onde o coral vai cantar as odes de agradecimento e resplendor a Jesus.

O coro entra da mesma forma como um céu repleto de nuvens de repente revela uma nesga de luz irradiante. É aquela famosa paisagem das montanhas onde o sol atravessa as nuvens e toca com delicadeza a terra. Aquela mistura de luz, elementos etéricos das nuvens e o acalanto da trilha persistente da terra, convida ao ato de sublimidade da fé.

É como dizer: "What a beautiful World"

Todas as cenas mais lindas da terra, todos os mais belos desejos humanos e todas as mais sublimes dádivas celestiais se reúnem no mesmo tempo e lugar. Eis porque, dentre todas as obras criadas pelo homem, Jesus a Alegria dos Homens.

Escutar esta obra é um privilégio dos mais afortunados. Quem desejar irradiar sua casa e sua vida com ela, pode acessar aqui:

http://soundcloud.com/grupomemphys2/jesus-bleibet-meine-freude


Prof. Luis.

Mestre dos Nomes disse...

"entre todas as obras criadas pelo homem, Jesus Alegria dos Homens obtém um lugar de destaque especial"...complementando a frase que ficou incompleta, obrigado.

Lilly disse...

Meu querido Felipe

Em primeiro lugar, muitíssimo obrigada pela tua entusiasmada aprovação deste nosso espaço, inclusive comparando-o a um santuário (confio mto.na tua avaliação, tanto técnica como emocional, e conheço a tua franqueza.) Aliás, a música, p/mim, tb é sagrada (entre outras coisas, como lúdica, energizante, relaxante, catártica, reflexiva, mobilizadora, terapêutica, etc.)

Como disse ao Marlon, o criador deste blog e autor do primeiro comentário a esta postagem, alguém disse, intuitivamente, que "Bach é a prova de que Deus existe". Pelo que vc nos conta, c/ riqueza de detalhes (e c/a tua fidedignidade de sempre), ele, sem querer, acertou - o que, além de impressionante, é uma gde. alegria e mto.confortador p/uma "São Tomé" de carteirinha como eu.

Ah... mas quem diria que aquele garotinho tímido e atrapalhado do saudoso 2º grau, que me paquerava segurando docemente meus cabelos da carteira de trás da minha, que levava suas partituras p/a escola e estudava sem o contrabaixo (nunca entendi como!), iria se tornar esse homem tão articulado, culto, viajado, contrabaixista integrante da Filarmônica de Berlim, além dessa criatura extremamente, sensivelmente e inteligentemente espiritualizada...

(Mas deixe-me esclarecer a quem te lê: apesar do jeito um tanto formal e racionalista de se expressar, Luiz Felipe é uma pessoa mto.sensível, doce, simples e acessível, que apenas gosta de, generosamente, dividir seu conhecimento tão rico e maravilhoso c/ todos.)

Gostaria de falar mais, mas vou parar por aqui, senão meu "chefe" Marlon me bronqueia, me põe no tronco e me dá umas chicotadas... rsrsrs

Beijo afetuoso

Lilly

Nori Ferraro disse...

muito bom o site Liane parabéns :))

Lilly disse...

Brigada, Nori

Sei que você é um cara super ocupado, mas de qualquer modo, quero te dizer que, caso encontre um tempinho para nos acompanhar, estamos programando muitas novidades, diversificação dos temas, promoções, atrativos bacanas, tudo que acharmos legal e diferenciado para os participantes do blog.

Beijo

Liane

Marcus Häendell disse...

Quando eu era criança e escutei essa música pela primeira vez... Gostei tanto que aprendi a tocar flauta para poder tocá-la. Bach tem o poder de nos transportar para um mundo diferente, mágico, onde as preocupações e problemas não existem. As letras baseadas na música eu não conhecia, mas agora vou procurar para ver como ficaram. Parabéns pelo post e pelo Blog... Mas por ser um blog principalmente de música, eu mudaria a cor de fundo... Preto fica muito escuro, e letras vermelhas sobre preto, difíceis de ler
Abraços!

Lilly disse...

Marquinho

Sabendo o quanto você é exigente e crítico para música, fiquei muito contente por você ter gostado da peça escolhida, e mais ainda por ela te trazer lembranças bonitas da infância... Realmente, Bach tem esse poder único, o toque de gênio, esse pó de pirlimpimpim que nos deixa reluzentes e leves, capazes de voar para lugares de insuspeitada beleza e deslumbramento. Quanto à sua sugestão para as cores, vou trocar ideias com o criador do blog e responsável por seu design.

Obrigada, meu amigo

Beijos

Liane

Ana Paz disse...

Boa noite Lilly, Boa noite, Marlon
Que alegria rever vocês!

Essa música é maravilhosa - Jesus, Alegria dos Homens...como também poderia ser chamada de Jesus, Alegria daqueles que Amam, que Lutam, dos que tem Esperança, Força e Fé...e porque não Alegria do Aflitos: quantos só lembram Dele em momentos de dor...Jesus é Soberano sobre todas as coisas. À Ele, maravilhas, como esta canção...

Parabéns pela postagem!!
Beijo carinhoso...Paz e Bem!!

Marlon Sérgio disse...

Ana, e por falar em alegria, onde anda você? rsrs
Seu nome já diz muito sobre sua pessoa! Sempre passando tanta paz e luz em tuas palavras! Seja bem vinda sempre! A música é mesmmo maravilhosa, a postagem da Lilly, um primor e um exagero de sensibilidade e beleza! Fique com a gente, Ana! É um prazer que me toca tê-la por perto outra vez! Grande abraço, luz e Paz pra você, querida amiga!

Lilly disse...

Ana

Então a música combina contigo, tome-a como um pequeno presente nosso, já que você também é maravilhosa e uma verdadeira cristã, sempre distribuindo afeto, mansidão, boa vontade, luz e paz GENUÍNOS para todos.
Que você sempre tenha paz e alegrias, e que o nosso blog possa ter te oferecido pelo menos alguns momentinhos dessa paz e alegria.

Um beijo carinhoso e agradecido pela tua presença aqui.

RMFilho disse...

Uma das peças mais tocantes de Bach, talvez por isso a mais tocada e reconhecida. Não tem que não se emocione ao ouvi-la. Eu, confesso, nunca soube da versão do Vinícius. Muito interessante, principalmente pelo tema das flores. Bacana!

MÁRCIO LUIZ DA SILVA disse...

Realmente bela música e letra. Parabéns pelo blog e sucesso.

Lilly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lilly disse...

Ruyzinho

E por tão tocada, muitas pessoas acabam enjoadas dela... Mas ao se ouvir o original, com o coral (que eu acho o mais bonito e emocionante do concerto), volta-se a sentir as mesmas sensações. (Se tiver paciência, leia o comentário de uma pessoa acima explicando detalhadamente por que Bach consegue nos elevar tanto o espírito - é impressionante e admirável!) E o nosso Poetinha fez sua versão... Na verdade, não acho uma das melhores letras dele, mas pegou o espírito da obra de Bach. E seu gênio está em ter conseguido passar o mesmo clima, de elevação e consolo a quem sofre, com um tema tão diferente e simples, mas mostrando uma das coisas mais belas da Criação, as flores...

Beijão pra ti e esteja sempre conosco (se não estiver, vai perder as novidades e atrações que te falei...) < (Chantagem... eheheheh)

Lilly disse...

Obrigada, Márcio... epa, mas quem deveria agradecer era o Bach, né? rsrs

Que os céus digam amém ao teu desejo de sucesso para nós! E olha, estamos programando novidades muito gostosas, diversificação cada vez maior dos temas, atrativos diferenciados, promoções imperdíveis... tudo que acharmos legal para sair da mesmice e agradar os leitores.

Beijo

Lilly

neuron genocide disse...

Musiquinha sem graça. Pra fazer agente dormir!
Sou mais o estilo Mozart " Requiem Dies Irae ".

um beijo Liane e parabéns pelo site tá bem legal

Wel disse...

ótima sua postagem. Parabéns

Lilly disse...

Neuron "Rafa" Genocide

Continua cri-cri e zoando da minha cara, seu coisa ruinzinha... eheheheh... (Saudades...) Mas sério, críticas são sempre bem vindas - a unanimidade seria entediante e pouco enriquecedora. Até entendo teu gosto: prefere música mais vibrante. Mas, mesmo preferindo Mozart (a quem aliás tb AMO!), não pode negar que Bach é um gde. gênio, que compôs músicas deliciosas de ouvir, inclusive mtas. bem vibrantes. Tenho certeza de que vc, conhecedor e curtidor de música que é, curte Bach. Não minta, confessa aí, vai... eheheheheh

Beijokas

Liane

Lilly disse...

Ô, teacher!

Poxa, que lacônico, o gato comeu a língua?!! Vou cobrar que vc volte e fale mais. E se não voltar, te rogo uma praga que cada vez que vc for passar o papo numa gostosa te dê uma comichão disgranenta pelo corpo todo... mwahahahahahahahah... (risada maligna...)

Mas que vá, obrigada.

Beijim

Sua aluna predileta

neuron genocide disse...

sim , o bach foi o pioneiro, mozart estudava encima das obras de bach.

Lilly disse...

Ah, confessou, moli... e ainda provou que conhece música... bom menino!!!

Ana Paz disse...

Obrigada,Marlon e Lilly...Desejo tudo em dobro, ou melhor, em triplo todas as palavras e sentimentos maravilhosos que me desejaram!! Beijão!!

Guilherme disse...

Genial. Bach, Jesus, a música e a autora da postagem, enaltecendo nosso Mestre Jesus através do grande Bach. Muito bem feito e emocionante. Jesus e seus ensinamentos estão tão fora de moda, né? É bom ver na internet ele ser homenageado. Parabéns. Um beijo

Lilly disse...

Gui

Genial você! Pegou bem o espírito da coisa, se identificou com a emoção, o sentimento com os quais eu fui movida a escrever o post e foi na chincha. Agora... eu, genial? mmmmm... gostei disso... é eu, Jesus e Bach! Me aguardem!!!

(Desculpe, a esta hora meus neurônios já estão meio sonolentos e saem essas coisas... eheheheh...)

Um beijo

Liane

Juan Rossi disse...

Não sou crente ou algo próximo a isso, porém, quando me deparo com Bach sempre me emociono e consigo sentir uma presença sobre-humana em sua obra, é impossível ouvi-lo e não acreditar no que ele quis transmitir com seu intelecto, sensibilidade e profunda musicalidade. Glenn Gould, João Carlos Martins e vários pianistas e músicos sempre se basearam em Bach. Villa-Lobos compôs suas Bachianas, que, alíás, as tenho sintetizadas num CD; ver músicas minhas em www.juanrossi.com.br; até mais e obrigado, de um profundo admirador de Bach.

Postar um comentário

Clique dentro da caixa e digite seu comentário!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Enterprise Project Management