quinta-feira, 9 de junho de 2011

Memória e raízes da MPB - Adoniran Barbosa




           Adoniran Barbosa, nome artístico de João Rubinato foi compositor, cantor, humorista e ator. Nasceu na cidade de Valinhos, SP, em 06 de agosto de 1912. A união entre o humorista e o músico resentou seus maiores sucessos musicais: "Saudosa Maloca" (1951), "Malvina" (1951), "Joga a Chave" (1953), "Samba do Arnesto" (1955), "As Mariposas" (1955), "Iracema" (1956) e "Trem das Onze" (1965).  Os "Demônios da Garoa" foram grandes intérpretes de suas composições, principalmente os sambas que citavam vários locais da cidade de São Paulo. 
           Elis Regina gravou "Iracema" e "Tiro ao Álvaro", pouco antes da morte de ambos que viriam a falecer quase na mesma época. Adoniran era amigo dos freqüentadores dos botecos onde se sentava para compor o que os cariocas reverenciaram como o único verdadeiro samba de São Paulo. O reconhecimento a Adoniran Barbosa aconteceu somente em 1973, quando gravou seu primeiro disco e passou a ser respeitado como grande compositor.
            Adoniran Barbosa faleceu em São Paulo, em 23 de Novembro de 1982, aos 72 anos de idade. Seu corpo está enterrado no Cemitério da Paz, no Morumbi, São Paulo. Existe, em São Paulo, o "Museu Adoniran Barbosa", localizado na Rua XV de Novembro, nº 347. No bairro do Ibirapuera há um albergue para desportistas que leva seu nome e, no bairro de Itaquera existe a "Escola Adoniran Barbosa". No bairro do Bexiga, Adoniran Barbosa é uma rua famosa e na praça Don Orione há um busto do compositor. Adoniran Barbosa é também um bar e uma praça. No bairro do Jaçanã existe uma rua chamada "Trem das Onze"

Fonte: http://memoriadampb.multiply.com/photos/album/22 


Reações:

1 comentários:

Marlon Sérgio disse...

Adoniran Barbosa, esse sim, um dos ícones da música genuinamente brasileira (sem purismo), merece reconhecimento por tudo que representa para a nossa música. Fiquei meio surpreso por não ver nenhum comentário sobre esta postagem, mas viva a democracia musical, a liberdade de escolha e expressão. Mas acho imprescindível para a história da MPB que não esqueçamos de valores como Adoniran, e isso não é só para as pessoas com mais de 60 anos, mas é - ou deveria ser - para todos aqueles que pretendem conhecer um pouco sobre música brasileira que, na minha opinião, é a mais rica do mundo!

Postar um comentário

Clique dentro da caixa e digite seu comentário!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Enterprise Project Management