domingo, 26 de junho de 2011

Cartola - Mestre do Samba e da Malandragem




        Quem não gosta de samba!... Vai, pode até ser que este não seja definitivamente o seu estilo preferido, não seja a sua praia, mas que o bom, velho, imortal e sempre presente VERDADEIRO SAMBA brasileiro, aquele, que atravessa as fronteiras, tanto as  geográficas quanto as sentimentais, continua e continuará existindo, é fato. e motivo de alegria, de orgulho, até! Afinal, como já dizia o samba de Edson e Aluísio, na voz da Alcione, vive na pele do nosso povo o apêlo do refrão: “Não deixe o samba morrer, não deixe o samba acabar, o morro foi feito de samba...” – todo mundo já cantou, inúmeros intérpretes regravaram o sucesso que rendeu à Alcione, a Marrom, o Disco de Ouro, naqueles distantes anos 1970.
     Muito bem! Mas hoje eu venho prestar minha homenagem, minha lembrança àquele que é, muito justamente, considerado o maior sambista brasileiro: Cartola! E a minha viagem ao mundo do samba legítimo carioca foi  hoje, assistindo na TV sobre a entrada do BOPE no Morro da Mangueira para instalação de mais uma UPP....fiquei pensando no povo, no samba, na escola de samba, vai que uma “coisa” puxa a outra e de repente, escuto na rádio - o quê? Um clássico de Cartola: “As Rosas não falam” – sempre digo, coincidências não existem! Feliz coincidência que venho dividir com os leitores do Lero Musical.
      A vida controversa, os altos e baixos (muitos baixos) da carreira, o casamento com Dona Zica, a amizade com Carlos Cachaça, figuras míticas da boemia carioca...é, Cartola, as rosas não falam, mas na sua música, voz, violão, muito amor e sentimento, elas não apenas exalam perfumes melódicos fugazes e luzidios como uma manhã de outono (“pois já vai terminando o verão - enfim”), mas nos fazem percorrer musicalmente tempos que não vivemos e, não obstante, tornaram-se eternos, bons tempos em que o samba ia além do tum-tum-tum e refrões bobos-vulgares de hoje em dia – e que na verdade, não é "o" samba, nem aqui, nem na Mangueira! É qualquer "bobalização" comercial que, por sinal, nem dá mais certo (mas esse já é outro assunto). Cartola, é verdade, as Rosas não falam, elas cantam, tamanha a beleza simples de sua música! A propósito, recomendo muito também “O mundo é um moinho”, acho que todo mundo já ouviu na voz do Cazuza...malandro é malandro. É isso aí!

                                                                                       Postagem de Renata Afonso

Reações:

3 comentários:

Fernando Marley disse...

Taí um grande músico que infelizmente só foi reconhecido depois que os brasileiros subiram o morro e perdeu o preconceito com o samba.

Espero que um dia acabe o preconceito das músicas do Norte e Nordeste.

Mas com a atual safra de músico s que existem acho muito dificil isso acontecer.

Ira Mandagaran dos Santos disse...

Sempre melodia e sentimento....que nos remete a um passado

de lirismo e romantismo.

so520pii7 disse...

Nossa, AMOOO Cartola !!!Mesmo que não saiba sambar NADA, rsrsrs... mas as músicas dele são eternas, amo todas as que conheço principalmente " As Rosas não falam " ...


ass> Nausicaa (vai virar refrão,rsrsrsrsrs mas fazer o que !rs)

Postar um comentário

Clique dentro da caixa e digite seu comentário!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Enterprise Project Management