quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Brega, vulgar e comum é não morrer de amor.





As Dixie Chicks, trio de música country norte-americano.


Existe muito preconceito contra a música sertaneja (ou country, ou folk, nos Estados Unidos).  Tacham-na de  brega ("camp", em inglês), óbvia, piegas, simplória, mal escrita, de mau gosto, entre outros adjetivos negativos. Porém, isso não passa de preconceito de pessoas elitistas ou pouco conhecedoras da verdadeira música sertaneja (que poderia ser melhor definida como "regionalista"), ou ainda que não se permitem ouvir o que realmente lhes dá prazer, preferem ir na onda do que decreta a crítica e os ouvintes supostamente "cultos", "antenados" e "de bom gosto"Sim, a música sertaneja/regionalista é simples, suas letras não são sofisticadas como as de Chico Buarque ou Caetano Veloso, no entanto expressam de forma direta, sem tantas firulas verbais, sentimentos autênticos, importantes e comuns a todos nós, e justo por sua simplicidade tocam fundo a alma, além de não raro serem gostosas de ouvir, sonoras, emocionantes (seja alegres ou melancólicas), empolgantes - para aqueles que não estão com os ouvidos viciados em ouvir o que nem sempre lhes agrada, mas dá "status" diante da galera igualmente preconceituosa, auto-repressora e auto-limitadora, porque a crítica disse que é "de qualidade", que é "culto", é "de bom gosto", é "inteligente", é "bem informado" (ainda que possam morrer de tédio com músicas chatas e sem graça.) E... o que é mesmo brega? O que é de mau gosto? Quem determina isso? Quais são os critérios? Já dizia o cantor e compositor Wando, sempre acusado de cafona (mas agradando em cheio o gosto do povo, e inclusive os nem tão "do povo" assim), que "brega, vulgar e comum é não morrer de amor"


Victor e Leo - Água de Oceano


Paula Fernandes + Victor e Leo - Não Precisa

Grayson Hugh - Can't Untie You From Me (da trilha de Thelma & Louise)

Sérgio Reis - Saudade da Minha Terra

Glenn Frey - Part of Me, Part of You (da trilha de Thelma & Louise)

 John Hiatt -Tennessee Plates (da trilha de Thelma & Louise - cena do baile)

Dixie Chicks - Cowboy Take Me Away

Rascal Flatts - Fast Cars and Freedom

Almir Sater - Trem do Pantanal

Renato Teixeira - Frete (tema da série de TV Carga Pesada)

Faith Hill - This Kiss - (da trilha de Practical Magic - Da Magia à Sedução)

John Mayer - Slow Dancing in a Burning Room

Reações:

14 comentários:

Eugenio disse...

Putz! Gostei muito do Tennessee Plates! Esse country rock da Trilha Sonora de Thelma e Louise é completamente suingado! Marlon, mano véio: como é que dois comunas explicam para Fidel que eles gostam de country rock yankee???

Liane Dornelles disse...

Legal, né? E tem outras legais (pelo menos eu procurei encontrar músicas gostosas.)

Quanto ao teu "terrível dilema"... fácil, Fakat: o barbudão também é chegado... hahahahahah

Terre Nunes disse...

Oi, querida!

Qdo vc me disse o tema do post, fiquei bem cabreiro, vim meio a contragosto, mas, para minha surpresa, acabei gostanto mto., ouvi com gosto cada uma das músicas. Vc escolheu maravilhosamente bem, são todas mto deliciosas de ouvir. E ao ver o qto as mulheres ficam loucas, chegam a chorar diante de caras como Leo e Vitor, lembrei que isso não acontece com gente como Chico e cia, pelo menos não tanto, pq por mais que suas músicas possam ser sensíveis e tocantes, não têm o apelo desse tipo de canção que expressa um amor mais desbragado e desmedido. Outra coisa, eles cantam em pé, tem um elemento de sensualidade a mais que esse povo do violão e do banquinho não tem. Enfim, mais uma vez, vc me ganhou. Beijos e saudades.

Liane Dornelles disse...

Terre, eu te entendo, tb ficaria c/ o pé atrás se alguém me indicasse músicas sertanejas. Pq tem algumas que eu não gosto mesmo, só curto a dos artistas mais sensíveis, e sobretuto a música regionalista, da qual esse sertanejo de hoje é uma variação oportunista e comercial. Mas confesso que gosto até de algumas canções bem, por assim dizer, bregas, como por ex. Planeta Azul e outras. Qto ao Chico e alguns outros da turma mais cabeça, ele tb causa mto frisson entre o mulherio, mas não essa paixão e esse amor loucos que provocam choro, vontade de tocar, de ter pelo menos um pedaço do artista. E o interessante é que o Victor e o Leo usam mto sutilmente a sensualidade (ex: meneios de quadris e pernas), mas já é o suficiente p/ mexer não só c/ a emoção como tb c/ a libido do público feminino. Mas à parte tudo isso, como vc disse, eu procurei escolher músicas gostosas de ouvir. Que bom que acertei teu gosto!

Beijo pra ti

Marlon Sérgio disse...

rsrsrs

Primeiro quero mais uma vez registrar aqui que gostei demais da postagem, Lilly.
Excetuando-se algumas variantes, a maioria das pessoas gosta de canções que falam à alma, que fala do cotidiano de nossos sentimentos bons ou não. Gostei muito do texto e adorei as músicas escolhidas.

Pois é, meu amigo professor Eugênio, como explicar isso 'lá em casa'? rsrs
Ideologias e doutrinas políticas à parte, né? Em se tratando de música e cinema eu realmente sou a pessoas mais livre que se possa imaginar. Sou encantado com nossa MPB, mas também com a música americana, inglesa, canadense, italiana, francesa e até mesmo de alguns fados portugueses (redundância?). Em matéria de música não tenho nenhum traço xenofóbico, meu caro. Se gostei, então quero mais é curtir. Abção.

Alícia disse...

Entre tantas músicas, umas mais alegres, outras mais tristes, outrsa românticas, etc, eu fico com todas. Sobre alguns sertanejos ou countrys, tipo o Vitor e Leo e o Rascal Flats, o legal é que eles tem tanto o lado romântico como o macho, e essa mistura eh uma loucura, eh isso que provoca a histeria geral nas mulheres. Além disso, eles tem pinta de bom moços, mesmo que não sejam, aquela coisa pura de homem do campo. Pra ser sincera, eu admiro o valor do Chico e caras como ele, mas acho a maioria das músicas deles chatas de ouvir, por melhor que seja a letra. Sei lá, não tem melodia, alguns tem voz feia, como o próprio Chico... prontofalei e agora azar. Enfim, adorei tudo! E sugiro que dem preferência para as músicas boas de ouvir, nada de chatice e muita coisa cabeça que só crítico e gente metida a intelectual finge que gosta.

Parabéns!

Liane Dornelles disse...

Marlon, fico bem contente em ver que, mesmo com nossas "peleias", nossos dentes arreganhados um pro outro vez por outra (duas personalidades fortes é assim mesmo... rsrsrs), vc continua sempre me querendo bem, valorizando e estimulando a mim e ao meu trabalho. (Olha, sinto mto, mas acho que não tem jeito, os anjinhos do céu estão tramando pra gente não se separar nunca... não sei se vamos conseguir nos livrar um do outro... :P) Agora, vc foi beeeem generoso, pq o texto tá bem meia-boquinha... eheheh Mas obrigada mesmo assim, sei que vc me elogia de coração - o que agrada não ao meu ego, mas ao meu espírito. Espero continuar sempre correspondendo às tuas expectativas e que nosso blog seja cada vez mais esse espaço lindo (graças sobretudo a você), gostoso, especial. Tim-tim pra nós dois e nosso "solarzinho" virtual!

Liane Dornelles disse...

Alícia, concordo em quase tudo c/ vc (e o Marlon pensa parecido comigo e compartilha mto dos meus gostos.) Portanto pode ficar tranquila que sempre estaremos priorizando aqui o que achamos gostoso de ouvir, não importa o estilo. E vou te confessar uma coisa: tenho poucos discos e CDs do Chico, Caetano e outros medalhões da música (também acho algumas músicas deles chatas), assim como não tenho quase nada dos sertanejos e countries (desses eu gravo as músicas que gosto). Costumo dizer que a minha "playlist" é exótica e sem lógica nenhuma, pq é uma mistureba doida, só invisto meu rico dinheirinho no que eu gosto muuuuito (pra mim música meia-boca não serve - cada louco com sua mania, né?) Gosto dos mais variados estilos, alguns inimagináveis; tenho de quase tudo que vc ou não possa imaginar, c/ uma marcada preferência pelo rock (em primeiríssimo lugar), soul, músicas românticas (BONITAS!!!) e uma ou outra coisa de pop. Também não tenho mta paciência pra comprar discos que tenham só uma ou outra música legais, no geral eu prefiro fazer minhas seleções e gravá-las.

E por fim... obrigada por nos visitar e ter gostado do nosso trabalho. Torço para que volte sempre!

Roni Sauaf disse...

mas o que que eh isso, mina, endoidou???? algum exu tranca rua encostou ni ti???? breganeja?????????????

brinks Li, vc sabe que eu naum tenho preconceito com nenhum estilo, e pra variar achei maneiraço o teu trabalho, até o Vitor e Leo eu ouvi e pior que até gostei manimêni (mas naum espalha, que eu tenho uma reputação a zerar........... kkkkkkkkkk..........)

Besos mi hermosa

Liane Dornelles disse...

Acho bom gostar, não faz mais que a obrigação, afinal eu sou mesmo mto competente e supimpa, eu sou the best. :P < (Mascarei, agora num tem jeito... mas a culpa é de vcs que ficam sempre me jogando confete... eheheheh)

Mas sério agora, não tem essa de ficar "se achando" e deitar nos louros. Cada trabalho tem que ser encarado como um desafio - e É um desafio, não dá pra relaxar. Não gosto nunca de me achar pronta, pq as pessoas c/ essa presunção são medíocres e acham que não precisam mais crescer. Além disso, por melhor que a gente ache uma postagem, nunca se sabe como os leitores a receberão.

Agora, sobre o Victor e Leo... deixa de trova, vc não gostou "manimêni", vc AMOU, que eu sei... eheheh Larga de vergonha do teu lado brega (ainda mais alguém com aquela calça skinny de tecido de cortinha... HAHAHAHAHAHAH)

(Ai, espero que vc não se vingue na próxima aula... medo... rs)

Thiago Endres disse...

Gostei de tudo, mas aquela frase do Wando arrasa: brega, vulgar e comum é não morrer de amor. Adorei, vou usar como argumento de agora em diante aos entojados e metidos a entendidos da música.

Abraços e parabéns

Liane Dornelles disse...

Thiago, eu tb acho o máximo. E quem diria que foi logo o Wando que falou! O que adianta a pessoa ser toda metida a sebo, comprar só discos de artistas elitizados e consagrados pela crítica e morrer de tédio com a chatice? (Bem, na verdade, essas pessoas dificilmente ouvem as músicas sozinhas, e sim esperam as visitas pra tentar fazer moral.) E pior: ser cheio de m* na cabeça (que consideram cultura e refinamento), mas viver amargurado e só, sem uma das únicas coisas que fazem a vida valer a pena, que é amar e ser amado?

Obrigada pela visita e por curtir nosso cantinho.

Wilson Saida disse...

Na verdade, pessoas assim, que usam a música como meio para ostentar bom gosto, erudição, classe e coisas do tipo, simplesmente não gostam de música, porque quem gosta, quem conhece suas delícias, seu prazer indescritível, não consegue passar sem, e tem que ser aquelas que curte de verdade.

Sobre o blog, sem palavras. De cair o queixo, melhor do que muitos que tenho visto por aí, tanto em visual como em conteúdo.

Liane Dornelles disse...

É, Wilson, acho mesmo que não. E realmente existem pessoas assim, que não acham a menor graça em música, que nem sequer entendem como nem por que alguns gostam tanto. Acho uma tristeza, estão perdendo um dos grandes prazeres da vida.

Obrigada pelas palavras gentis, é muito gratificante saber que estamos causando boa impressão a nossos visitantes, faz-nos ter ainda mais estímulo para continuar e melhorar cada vez mais.

Postar um comentário

Clique dentro da caixa e digite seu comentário!

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Enterprise Project Management